NOSSA CIDADE / Cmei Vó Luiza

Breve Biografia de Luiza Schmaichl Pilati

Luiz Schamaichl Pilati, nasceu no Rio do Salto, hoje municipio de Turvo - pR, em 19 de junho de 1923, filha de Augusto Schimaichl e Rosa Conrado.

Fez seus estudos preliminares na Escola Isolada existente nas proximidades da Igreja Presbiteriana, em Turvo. Segundo informações de colegas de classe, aí já se notava sua tendência para o magistério, quando, a pedido da professora, já "passava a matéria para os colegas".

Iniciou seu trabalho no magistério, em 1941,na Escola Isolada de Arvoredo, atendendo, na mesma sala de aula, alunos de três series elementares.

No dia 19 de junho de 1943, casou-se com Gabriel Pilati em Prudentópolis PR, retornando, em seguida para a escolinha no Arvoredo. Nessa localidade teve os dois primeiros filhos: Zélia e Orlando.

Em janeiro de 1947, Gabriel e Luíza mudaram-se para o Turvo depois de adquirirem um terreno de 16 alqueires do Sr benedito Lisboa de Souza (Seu Vivi), com um ponto comercial e residência. Nesse periodo, Lu[iza encontrava-se licenciada do magistério e, enquanto Gabriel trabalhava na lavoura, num terreno localizado no Arroio Fundo, ela cuidava da casa e do comércio.

Desde essa época o casal já trabalhava muito em função das comunidades de Turvo, Rio do Salto e Arvoredo, prestando atendimento material, espiritual e na saúde, ois Gabriel tinha conhecimentos de remédios homeopáticos - conhecimentos esses, herdados de seu pai.

Quando Luíza voltou a lecionar, em 1953, foi em uma escola, com duas salas de aula, - construída pela Prefeitura de Guarapuava, quando Prefeito o Sr Juvenal Assis Machado - junto as margens do Rio Turvo (do outro lado da ponte).

Durante todo esse período, além de lecionar, atuou de maneira ativa na comunidade católica como catequista e animadora de cultos, missas e eventos religiosos, o que acontecia em 1957, em sua própria residência (onde funcionou também o Cartório - criado em julho de 1955 - , o "Correio" e o primeiro Posto Telefônico de Turvo).

Em 1960, Luíza, já com 11 de seus 13 filhos, resolveu estudar mais e transferiu-se, então, para Guarapuava, onde estudou por 4 anos na Escola Normal Regional Nossa Senhora de Belém e exercia sua função de professora estadual no mesmo estabelecimento.

No mesmo ano de 1960, ajudou seu esposo Gabriel e implantar, em seu terreno, o primeiro loteamento para servir como sede do Distrito Judiciário de Turvo, já criado em 23/12/1953.

De volta ao Turvo no final do ano de 1963, assumiu seu posto de professora e suas funções na comunidade, tendo sempre a disposição e entusiasmo de ajudar a sociedade turvense crescer.

Depois de lutar contra um câncer, em 1973, deixou de lecionar por algum tempo. Logo, porém, voltou a exercer sua função com ânimo e alegria até 1978, quando se aposentou.

Embora tenha se aposentado, juntamente com seu esposo, nunca deixou o trabalho educativo, principalmente na formação humana e religiosa de crianças, jovens e adultos. Na comunidade católica, além de ter sido catequista por mais de 60 anos, participou da implantação e atuou em vários movimentos e pastorais, como: Legiao de MAria, Apostolado da Oração, Renovação Carismática Católica, Ministério Extraordinário da Eucaristia, entre outros.

Em novembro de 1996, depois de fraturar o fêmur no caminho de volta para igreja para casa, constatou-se que o Câncer havia voltado, agora nos ossos. Depois de lutar contra a doença por mais de cinco anos, - sempre transmitindo fé e esperança a todos os que dela se aproximassem - faleceu em 16 de março de 2002.

Anexo

Última Atualização do site:  14/11/2019 16:35:56